ola

Menu

domingo, 10 de março de 2013

MANDAGUARI - Transferência do toco de arvore para caixa racional INPA

[ Figura-1 ] Mandaguari alojada em toco de arvore
Hoje fiz a transferência da abelha Mandaguari que se encontrava alojada em um toco de arvore, conforme podem ver na figura-1, para uma caixa racional modelo INPA ( 20 x 20 internamente ), mesmo modelo usado para enxames de Uruçus.

Mais uma vez a serra eletrica circular foi a salvação da transferência, pois o toco estava com sua estrutura muito dura e somente com equipamento desse tipo poderia fazer o trabalho de abertura do mesmo.  Uma outra solução seria usar uma motoserra, isso está voltado mais para que vive em sitio ou fazenda, onde os serviços rotineiro exigem equipamento desse tipo.

[ Figura-2 ] Toco rachado e ninho aparente
Bom, depois de alguns esforços para rachar o toco, a recompensa é grande.

Vejam na figura-2 o tamanho que estava o ninho, na parte superior contei 15 discos de cria e na parte inferior 7 discos.

Depois dessa abertura, tive que abrir mais um pouco, devido o tamanho dos discos, para facilitar a retirada e não danificar muito a estrutura do mesmo.

[ Figura-3 ] Enxame alojado em caixa racional INPA


Era enorme a quantidade de abelhas que ficavam esvoaçando em volta do local onde eu estava executando a atividade, incluindo vários beliscoes, que ignorava, pois o prazer de fazer esse serviço era tão grande que isso passava despercebido.

Bom, a parte mais trabalhosa  terminou, e o enxame já se encontra dentro da caixa racional modelo INPA.  Na figura-3 dá pra ter uma noção de como o enxame estava grande e forte, foi preciso colocar 3 modulos de aumento para alojar o ninho e uma melgueira.





[ Figura-4 ] Reaproveitando o toco ( isca )
Terminado toda a atividade, vem a parte de guardar os instrumentos, ferrramentas e limpeza do local.  Chegou a hora de descartar o tocão, tocão esse que foi namorado por bastante tempo, e não tive coragem de jogar fora. Simplesmente reajuntei as partes do toco, amarrei com arame, coloquei um fundo ( redondo ) de madeira e outro na parte superior, também fiz um furo de entrada, inclusive o furo ficou um espetáculo, muito redondinho, dá gosto de olhar pra ele, espero que as abelhas também gostem.

Pronto, o tocão voltou pra sua posição original para receber as abelhas que ficaram para trás e eu fiquei satisfeito por não te-lo jogado fora.

Não se preocupem, o enxame novo na caixa INPA, foi transferido de lugar logo de manhã, o restante das abelhas que insistem em ficar no tocão são as abelhas que já estavam no tocão ainda aberto. Caso ocorra um desequilibrio entre a quantidade de abelhas que ficaram na caixa INPA o tocão ( competição ), atuarei fazendo rodizio entre elas, isso resolve esse desequilibrio.

MEL e POLEM:
Comento aqui que retirei mais de 500 ml de mel desse enxame no momento da transferência e também muito polem de otima qualidade. Realmente fiquei surpreendido com essa especie de abelha:
  1. trabalhadora: o dia nem clareou direito e elas já estão saindo pra atividade externa;
  2. Numerosas: é uma especie de abelha que possui uma população bem numerosa;
  3. Defensiva: elas realmente defendem o ninho com bastante bravura;
  4. Bonitas: pois ficam voando aos montes em volta do bico de entrada;
  5. Mel: produz um mel saboroso.
É isso pessoal, mais uma etapa realizada, agora o enxame estando dentro de caixa racional, fica facil dar manutenção, retirada de mel, fazer inspeção, fazer divisões, etc.

Grande abraço e muito sucesso pra vocês.

6 comentários:

  1. Estou com um toco habitado por mandaguarís. O tronco esta cerrado e elas fecharam o fundo com bastante cera... será que consigo retirar somente por esta abertura que está somente em uma das extremidades? Um abraço e bela reportagem!

    meliponariodapaz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Clerison;

      Muito legal o fato de você ter uma Mandaguari alojada em um toco de arvore.
      Amigão, somente por uma das extrimidades ( superior ou inferior ) você não vai conseguir retirar o ninho delas, pois tem muito discos de cria. Você vai precisar abrir o toco no meio com uma motoserra ou outro instrumento que tiver acesso, aí sim ficará facil pra retirar.
      Depois guarde o toco, junte as duas partes, amarre com arame e deixa como isca para os proximos enxames.
      Geralmente depois da transferencia, ainda ficam muitas abelhas entrando no tocão, isso pode gerar um novo enxame.

      Grande abraço e muito sucesso pra você.

      Excluir
  2. olá meu amigo Lúcio! ,é o Matheus ,tudo bem com você?, estou deixando esse recado, as mandaçaias estão indo muito bem ,eu coloco um pouco de cera alveolada do lado da entrada e elas devoram tudo em 1 segundo(meia hora),devem estar fazendo alguns reparos no ninho ou construindo potes de mel e pólen.
    Também fiz a transferência de abelha jatai,do tronco para a caixa modelo INPA, elas na hora da transferência as abelhas ficaram esvoaçando como a guaraipo acima,gostei muito percebi que é uma experiencia muito interessante.Avia muitos discos (10 no total) muito pólen e muito mel também ,quando fui recolher mel os potes de pólen estavam muito juntos e acabei tingindo o mel com pólen,o gosto não ficou muito bom,acho que vou guardar para tais alimentações futuras.
    Agora estou interessado nas abelhas da espécie uruçu amarela e uruçu nordestina,se você tiver ou conseguir-las e quiser vendê-las me da um toque no celular que nós conversamos tudo bem. um grande abraço
    fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Matheus;

      PARABÉNS pelo sucesso na transferência de uma Jatai que estava alojada no toco pra uma caixa racional. Essa atividade é muito divertidade e agradavel.
      Quando estou "lidando" com elas, é como se eu estivesse desconectado, fico off line, me concentro somente naquilo que estou fazendo no momento: cuidando das abelhas.
      Muito legal o fato de você estar querendo adquirir novas especies, isso faz parte desse trabalho.
      Quando quiser trocar informações / ideias, etc, é só ligar ou mandar e-mail que terei o maior prazer em ajudar. Nessa atividade aprendemos todos juntos.

      Grande abraço e muito sucesso pra você.

      Excluir
  3. moro em ibipora parana, e aqui ha muitos ninhos naturais de mandaguari, eu queria saber que tipo de isca devo usar, pra capturar enxames, o que colocar dentro, e qual o mes certo pra fazer essa atividade. obrigado, e boa sorte com seu enxame

    ResponderExcluir
  4. Olá Breno !!!
    Muito legal o fato de você estar numa região onde ocorrem nidificação natural dessa espécie. Geralmente o enxameamento costuma ocorrer entre os meses de Outubro à Janeiro ( Primavera e inicio do Verão ).
    Sendo assim, se você espalhar as iscas nesse período, terá grande chance de capturar, Use restos de cera das outras espécies diluídas em alcool e passe dentro das caixas iscas.
    Boa sorte.

    ResponderExcluir

Deixe sua mensagem.