ola

Menu

domingo, 4 de agosto de 2019

MANGUEIRA - repleta de flor ( caixas abelhas integradas )

[Figura-1] Flor de mangueira







Estamos chegando perto da estação primavera e as plantas já começaram a dar flor...

Na figura-1 podemos ver galhos de uma mangueira, repletos de flor.

E são flores muito cheirosas.












[Figura-2] Mais  flor de mangueira








Os galhos ficam brancos de tanta flor.
Na figura-2 podemos ver mais flores da mangueira

















[Figura-3 Meliponario





Meu meliponario está debaixo dessa mangueira, e as abelhas estão aproveitando esse cenário, principalmente as borás ....

ISCA PET - Aparência melhorada com ripas de madeira






Geralmente quando trabalhamos com madeira, no caso de fabricação de caixas, sempre tem algumas sobras,  estas sobras podem ser usadas para melhorar a aparência das caixas iscas, deixando-as com um visual melhor, mais bonito






Essa caixa isca, que é um galão de 5 litros, foi colocada para capturar enxames de Borá.

Colocando essas finas ripas de madeira em volta do galão, a caixa isca fica com uma aparência bem melhor....aquele saco preto não aparece,

sexta-feira, 15 de março de 2019

Mandaguari Preta - melgueira repleta de pólen





[Figura-1] Caixa com Mandaguari








Uma das espécies de ASF ( Abelhas Sem Ferrão ) que aprecio muito é a Mandaguari.

Essa espécie produz muito pólen de excelente qualidade, além do delicioso mel.

Também produz muito própolis, que pode ser utilizado durante o manejo da própria espécie,  quanto de ouras.










[Figura-2] Melgueira cheia de polén








Na figura-2 podemos observar que a melgueira está repleta de pólen de ótima qualidade.

Esse enxame está muito forte.














[Figura-3] Polén de ótima qualidade







Na figura-3 podemos ver mais de perto os potes de pólen.

A mandaguari preta, é uma abelha rustica, pode ser criada em diversas regiões.

Muito produtiva.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

USP - 5º Seminário de Meliponicultura

[Figura-1] Cidade de Ribeirão Preto




Ribeirão Preto, mais uma vez acolhe os visitantes durante o evento do 5º Seminário sobre Meliponicultura que aconteceu na USP entre os dias 23 e 24 de Fevereiro de 2019






[Figura-2] Auditorio lotado






Esse evento reuniu vários participantes de diversas cidades, fazendo com que o auditório ficasse lotado.

Momento bacana para reencontrarmos os amigos e fazer novas amizades, sem falar no acréscimo de conhecimento que foram transmitidos durante o evento, cujos temas foram bem variados.









[Figura-3] Oficina sobre pomada







Dentre as diversas oficinas que aconteceram no dia 24, uma delas foi sobre a confecção de pomada utilizando mel, própolis de abelha.
Foi ao vivo, onde os participantes tiveram a oportunidade de adquirir esse conhecimento e fazer sua própria pomada.
A figura-3 ilustra o momento do acontecimento dessa atividade.










[Figura-4] Transferência de Jatai






Na figura-4 podemos ver o momento em que o apicultor e meliponicultor, Ailton Fontana cortando os favos de mel da espécie de abelha Jatai, o enxame foi transferido da isca pet ( modelo exlusivo do Ailton ) e transferido para uma caixa racional.

Esse favo de mel foi cortado e servido aos participantes, para provar o delicioso mel da jatai, deu aproximadamente 1 k de mel.








[Figura-7]

[Figura-5]


Figura-10]
[Figura-8]























[Figura-9]

[Figura-6]




















As figuras de número 5 a 10 mostra os diversos produtos relacionados com a atividade, abelha, são produtos derivados do mel, da cera, produtos para criar abelhas como caixas, e outros itens destinados a esse fim.

Dentre os diversos palestrantes, tivemos a oportunidade de conhecer um empreendedor que está desenvolvendo um aplicativo para celular, cujo aplicativo é destinado a ajudar os criadores de abelhas e os agricultores, ou seja, temos agricultores que precisam polinizar sua plantação e precisa de abelhas para isso, e esse aplicativo faz a interface entre os dois mundos ( criadores de abelhas e agricultores ).

Outro fator interessante durante o evento foi que tivemos muitos sorteios, desde caixa, mel, plantas, livros e muitos outros itens.

Enfim, foi um evento muito bacana, que foi possível devido ao empenho do nosso amigo Eder Avelar, que esteve a frente da organização.



sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Telhado para proteção de caixas de abelhas sem ferrão

[Figura-1] Caixa equipada com telhado




Quando decidimos crar abelhas fora de ambiente coberto, necessitamos criar um mecanismo para proteger a caixa contra sol forte e chuva.

Uma das alternativas é a utilização de um telhado, o qual pode ser construido de madeira ou outro material qualquer que possa desempenhar essa função, que é proteger a caixa.

A figura-1 ilustra um  modelo de telhado, feito de madeira, que desempenha muito bem essa função.










[Figura-2] Construção do telhado




Esse modelo de telhado, tem um comprimento de 50 cm, que serve para proteger caixas com tamanhos variados.

A figura-2 mostra um telhado sendo finalizado na sua construção final, onde ele recebe uma "cumieira" de zinco, justamente para proteger a união das duas tabuas, evitando dessa forma a entrada de água.

Esse modelo de telhado tem um determinado peso, o que evita que o mesmo caia diante de ventos fortes.







[Figura-3] Telhados






Para dar uma durabilidade maior ao telhado, recomenda-se a pintura da madeira com verniz ou outra tinta propria para madeira.

















sábado, 27 de outubro de 2018

Enxameação de Mandaguari Preta

[Figura-1] Zangões de mandaguari preta


Estamos na época de enxameamento das abelhas, que vai do mês de Agosto até Março, fora desses meses, pode ocorrer que o enxame não vingue, por motivos de falta de zangões, que se apresentam em menor quantidade na natureza, que são fundamentais para a fecundação da princesa, a qual irá se tornar rainha depois de fecundada.

Na figura-1 podemos ver um aglomerado de zangões da especie mandaguari preta, eles ficam praticamente "empelotados", que as vezes chegam a cair no chão, de tão aglomerados que ficam.








[Figura-2] Isca pet instalada





Na figura-2 podemos ver a isca pet instalada em um tronco de arvore viva, cuja arvore está em uma área preservada.
É uma isca pet de 5 litros, equipada com proteção na entrada ( pito de entrada ), confeccionado com pedaço de galho de arvore, com um furo por dentro.











[Figura-3] Local adequado



Na figura-3 verificamos que a isca pet foi instalada em um lugar bastante estratégico.

Observem que entre os galhos mais grossos, tem uma cavidade, e é justamente nessa cavidade que instalei a pet, pois as abelhas procuram lugares como esse ( cavidade ), para instalar os novos ninhos. Temos que ter a sensibilidade na hora de instalar as armadilhas, agindo dessa forma ( escolhendo o lugar certo ), aumentam as chances de captura.











quinta-feira, 12 de julho de 2018

Túnel de entrada com alimentador embutido

[Figura-1] Alimentador completo



Quando necessitamos alimentar um enxame, ou por causa de uma divisão recente, ou mesmo por falta de pasto apícola, sempre recorremos ao método que todos conhecemos:

"retirar a tampa da caixa para termos acesso a melgueira e colocar o alimento dentro de um recipiente que lá se encontra".






[Figura-2] Alimentador sem a garrafa pet




Outro procedimento é utilizar um sistema que nos propicie fazer isso sem ter a necessidade de retirar a tampa e expor o enxame ao frio ou a claridade do dia.

Esse sistema é o mostrado na figura-1, trata-se de um protetor de entrada que tem embutido um espaço para o alimentador, no caso, uma garrafinha pet de 200 ml.

Na figura-2 podemos ver um pouco mais dos detalhes dessa proteção com espaço para o alimentador.







[Figura-3] Furos interligados






Na figura-3 podemos ver que o túnel de proteção da entrada está interligando os furos da entrada da caixa com o local onde está a parte do alimentador. Ou seja, as abelhas não precisam sair de dentro da proteção para buscar o alimento.











[Figura-4] Semi furo para acoplar a garrafa pet



Para encaixar a garrafinha pet de 200 ml, foi feito um semi-furo de 30 mm, na figura-4 podemos ver esse detalhe.

Como a garrafinha vai ter um pequeno furo na tampa, o xarope vai ser sugado pelas abelhas, dessa forma evitamos que o xarope escorra para dentro do túnel.






[Figura-5] Tampão




Depois que realizamos a alimentação, caso queira retirar a garrafinha pet, podemos utilizar um tampão para fechar o local reservado para receber a garrafa, a figura-5 ilustra essa ideia.

Na figura-2 podemos ver que esse dispositivo tem um furo nas laterais, justamente para que possamos fixa-lo na caixa, fazendo com que o o túnel coincida com a entrada da caixa.

A proteção tem um comprimento de 18,5 cm, que pode ser utilizado em qualquer tipo de caixa, basta centralizar a entrada com o rasgo do túnel e depois parafusar.

Como esse tipo de alimentador fica na parte do ninho (primeiro módulo da caixa), facilita muito nas divisões.