ola

Menu

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Caixa INPA 15X15 cm ( interno ) com proteção na entrada - Mandaçaia


[Figura-1] Caixa INPA 15x15 com proteção

Muitas vezes temos problemas com as famosas lagartixas, que ficam rondando a caixa na tentativa de comer as abelhas docinhas que por ali moram.

Pois é, a lagartixa come uma abelha, depois come outra e assim vai ficando gordinha, enquanto o seu enxame vai ficando fraco e definhando com o tempo. Pode chegar até a desaparecer. Sem contar do estresse que as abelhas passam com esse "vizinho" medonho.

Bom, pra resolvermos essa questão, uma das soluçoes é usar a proteção na entrada da caixa, como mostra a figura-1.

Dessa forma, as lagartixas jamais conseguirão comer as abelhas.









Fotos da caixa com a proteção instalada.



Fotos da caixa com a proteção instalada.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Aconteceu o II Workshop Internacional na USP em Ribeirão Preto

[Figura-1]

Algumas fotos:
O Workshop aconteceu no predio da medicina, bloco didático.
Foi um evento muito interessante, onde diversos palestrantes renomados no assunto, estiveram presentes e debateram temas que com certeza agregaram muito valor para aqueles que estão envolvidos nessa atividade: Meliponicultura.

O foco desse evento foi em homenagem ao Dr. Kerr, um grande pesquisador da área.




















Folders.
Organização do evento
     




Temas em debate



Produtos em exposição





Variedades de produtos a venda.



Também  momento para tirar fotos com os amigos.





Palestrantes.



















 Aulas práticas.
Participação feminina.
E de jovens também.



















Foi um evento muito expressivo, quem já conhece a atividade da Meliponicultura, foi um momento para lapidar informações, tirar duvidas, enriquecer ainda mais o conhecimento.
A prática todos sabemos, mas precisamos estar antenados com o que está acontecendo com a Meliponicultura no Brasil e no mundo, e esse workshop faz exatemamente isso:
"Atualizar os envolvidos no assunto sobre o o rumo da Meliponiculura e a preservação das ASF".

E a cidade de Ribeirão Preto é muito hospitaleira.




sábado, 30 de julho de 2016

II Workshop Internacional de Meliponicultura USP - Ribeirão Preto

Em setemtro de 2016, vai acontecer um grande Workshop Internacional na USP em Ribeirão Preto.
As inscrições já estão abertas, e para se inscrever, basta enviar email para:
abelhasrp@gmail.com

Eventos como esse são muito importantes para refinarmos nossos conhecimentos, pois os palestrantes são renomados no assunto.

                                              (   inscrições encerradas )


[Programação das palestras]


  

 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Alecrim do Campo ( ou vassourinha do campo )

[Figura-1] Alecrim do campo
Nome cientifico: Baccharis dracunculifolia DC

Caracteristicas
Planta daninha mais conhecida pelo nome “alecrim-do-campo”, dióica com as inflorescências masculinas e femininas. É um arbusto perene que pode atingir até 3 m de altura e cresce espontaneamente em áreas de pastagens (por isso é também considerada planta invasora) no Estado de São Paulo e em todo o Brasil. 


Baseados em estudos sobre a própolis verde, os cientistas observaram que muito do potencial dessa substância vem de uma planta que até então era conhecida somente por limpar as cinzas de fogão a lenha e sujar o pasto. Mais do que isso, o alecrim-do-campo serve também de matéria-prima para as abelhas produzirem a própolis verde - assim denominada pelo excesso de clorofila - que é tão cobiçada pelo mercado internacional, sobretudo o japonês, por conter propriedades antiinflamatórias, antimicrobianas, antioxidante e antitumoral.


[Figura-2] Produz muito propolis verde



 Sua resina é coletada e processada por abelhas, especialmente abelhas da espécie Scaptotrigona conflita, que produzem a conhecida própolis verde, assim denominada pelo excesso de clorofila - que é tão cobiçada pelo mercado internacional, sobretudo o japonês, por conter propriedades anti-inflamatórias, antimicrobianas, antioxidante e antitumoral. Quase não existem substâncias naturais descobertas recentemente que se tornaram populares e foco de pesquisa científica do que a própolis verde e a vermelha. 












[Figura-3] Muito visitada por abelhas
 
Uso popular e medicinal
Amplamente utilizada na medicina caseira com a infusão das folhas para problemas hepáticos, disfunção estomacal e como anti-inflamatório. Seus componentes químicos estão sendo estudados para combate ao câncer. Alguns estudos indicam que a planta tem potencial como fitoterápico para tratamento de úlcera gástrica.


Especies abelhas que visitam:
Tenho observado várias especies, dentre elas:
. jatai
. mirim
. irai  
. apis
. ( muitas outras, não identificadas ) 

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Aconteceu: 2º Seminário Meliponicultura - USP


[Figura-1]





Nos dias 23 e 24 do mes de Janeiro 2016, aconteceu o 2º Seminário sobre Meliponicultura na USP - Universidade São Paulo em Ribeirão Preto.

Como já havia anunciado, o seminario foi um sucesso, com a presença de muitos participantes, auditorio lotado.












[Figura-2]

O Seminário teve a participação de grandes palestrantes, muitos dos quais Doutores no assunto.

A plateia estava bastante diversificada, onde mais uma vez o público feminino ( figura-3 ) marcou presença em grande escala, e também o público jovem, que a cada ano vem desmonstrando interesse pelo assunto, tanto no quesito criação de ASF como a preservação da espécie.














[Figura-3] Público feminino





E pra surpresa da turma, ocorreram vários sorteios, entre agendas, livros ( muitos livros ), caixas para ASF, mel, caixas iscas e muitos outros itens.

Foi um momento mágico, onde as pessoas tiveram a oportunidade de estreitar relacionamentos (figura-6), fazer novas amizades, rever amigos, trocar conhecimentos e alavancar futuros negócios.











[Figura-4] Temas muito interessantes


Durante todo o evento, as palestras foram apresentadas em alto grau de relevancia, assuntos que para alguns acrescentou muito valor, para outros ( iniciantes ) foi novidade, que agregou muito conhecimento.

Os temas eram apresentados de forma clara, objetiva e prática. 














[Figura-5] Mais palestras








E a espécie de ASF Uruçu Verdadeira, teve um espaço somente para ela:
uma palestra totalmente recheada de informações sobre o manejo de criação, divisão, etc.











[Figura-6] Estreitar relacionamentos


Em Seminários como esse, nós temos a oportunidade de estar ao lado de grandes pesquisadores, que dedicam horas de estudos sobre o tema, buscando sempre aprimoramento naquilo que faz, e nos apresentando, onde temos o privilegio de assistir.



Nesse Seminário foi aberto espaço para que as pessoas pudessem expor seus produtos e  serviços.












[Figura-7] Caixas isca ( PET )
Adicionar legenda







Produtos em exposição

















[Figura-8] Aulas práticas







No segundo dia do Seminário, ocorreram as aulas práticas, onde muitos tiveram a oportunidade de aquirir conhecimentos em como fazer a divisão de um enxame de jatai, marmelada, mandaçaia.

As aulas práticas aconteceram em pontos estratégicos dentro do predio da Universidade, onde os enxames já estavam previamente instalados no dia anterior, para que no dia seguinte os participantes pudessem desenvolver essa prática.

E para não aglomerar muitos participantes, as aulas práticas foram distribuidas em pontos dentro do  pátio, dando assim a oportunidade para que todos participassem, e conseguissem participar mais de perto, como, onde participantes conseguiram colocar a mão na massa e fazer as divisões ( figura 9 ).

[Figura-9] Fazendo uma divisão








Tem coisas que a gente somente aprende fazendo:
é o caso da foto ( figura-9) onde uma das participantes está capturando abelhas com um sugador manual.












[Figura-10] Público feminino







E o público feminino ali, presente, olhando, as vezes com um olhar de curiosidade, mas o interesse pelas abelhas é visivel, basta estar prsente já é suficiente para demonstrar a paixão por elas.












[Figura-11] Mesa redonda



Já no final do Seminário, foi montado uma mesa redonda, composta por pesquisadores e doutores.
Nesse momento os participantes tiveram a oportunidade de lançar perguntas.

Um dos temas bastante discutido foi o "desaparecimento das abelhas".

Muitas pesquisadores já estão envolvidos e abraçando a causa e grupos já formados estão atuando na educação das pessoas e buscando com isso diminuir o impacto da depredação de enxames que são subtraidos de forma desatrosas.









[Figura-12] Mesa redonda

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

2º Seminário de Meliponicultura Ribeirão Preto e Região



[Figura-1]




Oá pessoal, mais um seminário apontando no horizonte, mais informações, mais aprendizado e sobretudo, aproveitar para estreitar relacionamentos. As datas já foram definidas e a cidade também.

Para maiores detalhes, consultar a pagina do evento para se inscrever:
https://www.facebook.com/workshopmeliponicultura/?fref=ts


[Figura-2]

Os palestrantes começam a se apresentar e colocando em pauta os tópicos de sua autoria.

Tópicos que serão abordados:

Morte das abelhas - Luta contra o veneno
e como se defender.
Palestrante: Wilson Gussoni




[Figura-3]




Resgate sustentavel de abelhas nativas
Controle do fumacê.
Palestrante: SOS Abelhas Sem Ferrão








[Figura-4]



Manejo e produção de Rainhas de Borá
Palestrante: Ivan de Castro ( USP - RP )









[Figura-5]


Manejo da abelha Uruçu Nordestina.
Palestrante: Profº Dr. Eloi Machado Alves










[Figura-6]



Produtos de Meliponicultura.
Palestrante: Profª Dra. Genna Sousa









[Figura-7]
Maurinho, muito conhecido, vai estar lá falando sobre iniciação, transferências, multiplicação e manejo das ASF ( Abelhas Sem Ferrão ).










[Figura-8]


Projeto A cidade das Abelhas
Palestrante: Daniel Malusa Gonçalves









[Figura-9]
Ninhos iscas
Palestrante: Porfº Ademilson Espenser











[Figura-10]


 A importância das abelhas para o homem e seu papel na natureza.
Palestrante: Profº Lionel S. Gonçalves