ola

Menu

sábado, 9 de junho de 2012

Adaptações: Caixa Racional para Mandaçaia

Foto 1 - Caixa modelo INPA sem as varetas na parte superior
Uma das coisas que incomoda bastante no processo de retirada do mel ou fazer as multiplicaões de enxame é naquela hora em que desgrudamos uma extensão da outra.

Não tem jeito, retirou a extensão superior e o estouro de alguns potes de mel que estão na extensão inferior se rompem e o meleiro é inevitavel.  Vejam a foto ao lado ( foto 1 ), nessa extensão alguns potes tiveram a parte superior arrancada, pois estavam grudados no fundo da extensão superior.

Esse derramamento de mel atrapalha muito, pois o mel escorre em cima do ninho, e a probabilidade de se atrair formigas é muito grande.

Foto 2 - Caixa da direita contendo a adaptação
Bom, pensando em uma forma de evitar esse cenário, fiz uma adaptação no modelo da caixa INPA.

Vejam a foto ao lado ( foto 2 ), a caixa da direita já contendo a adaptação, na verdade são "varetas" de madeira bem finas, colocadas na parte superior de cada extensão ( em todas elas ).
A medida em que as abelhas vão construindo os potes de mel ou polem, elas encontram essas varetinhas e acabam por grudar os potes neles, ao inves de grudar no fundo da extensão imediatamente superior.


Foto 3 - Extensão com varetas incluidas
Dessa forma conseguimos contornar o desastroso cenário de estouro de potes de mel e polem.
Existem outros meios de construção, cujo resultado é o mesmo, ou seja,  construir uma divisão entre a parte inferior com a parte superior, com o intuito de oferecer proteção aos  potes.

Usando varetas, fica mais facil para ter acesso aos potes, para retirar o mel ou fazer inspeções. Essas varetas ficam fixas, não saem.
Foto 4 - Caixa INPA com as duas extensões já preparadas

Na foto 4, podemos ver as duas extensões equipadas com as varetas.

Entre o fundo da extensão superior e topo da inferior, existe um "vão" de 1 cm, espaço em que as abelhas não usam, o ninho vai estar crescendo no sentido vertical e passando do lado desses vãos.

Foto 5 - Detalhes do vão entre parte superior e inferior
Já na foto 5, visualizamos com um pouco mais de detalhes o que comentei sobre o vão que existe entre o fundo da extenão superior e a vareta da parte superior da extensão inferior ( ficou confuso essa conotação, não é mesmo, mas dá pra entender ).

Enfim, procuramos propiciar mecanismos que facilita nossas vidas no que diz respeito ao manuseio das ASF ( Abelhas Sem Ferrão ) e ao mesmo tempo oferecendo menos estresse para as abelhas e principalmente buscando agilidade naquilo que estamos fazendo.

Como já tinha dito em uma postagem anterior:

"Pra que reinventar a roda, se ela já existe, temos é que procurar melhora-la, a forma principal ( redonda ) já é funcional há decadas, mas sempre podemos fazer algo que vai agregar algum valor a ela, o espaço e criatividade está em cada um de nós, basta ver as coisas por outra ótica, que com certeza vamos encontrar algo de diferente e é aí que atuamos".

Amigos, grande abraço e muito sucesso pra vocês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua mensagem.